Pare de querer me adoecer….

•dezembro 16, 2014 • Deixe um comentário

(function(i,s,o,g,r,a,m){i[‘GoogleAnalyticsObject’]=r;i[r]=i[r]||function(){
(i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o),
m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m)
})(window,document,’script’,’//www.google-analytics.com/analytics.js’,’ga’);
ga(‘create’, ‘UA-57662333-1′, ‘auto’);
ga(‘send’, ‘pageview’);

Featured imageMeu marido resolveu fazer um check-up e quando chegou o resultado ele ficou assustado, pois estava pré-diabético, com pressão alta, problema no fígado, etc. Não preciso nem falar como ele ficou assustado! Mas não parou por aí, ele achou que eu também deveria fazer um check-up, mesmo eu explicando para ele que eu não precisava, visto que eu sou saudável.

- Você está acima do peso! – disse ele.

- E!? Já disse sou saudável! Não tenho nada.

Enfim, para acabar com a dúvida dele, pedi para ele marcar o médico e fui fazer o check-up.

Dia da Consulta. Cheguei logo falando que eu era saudável e não tinha nada, a médica olhou, não se abalou e começou a perguntar sobre histórico familiar, hábitos, e passou uma série de exames. Fiz todos e saiu o resultado. Gordinha, saudável e feliz. Falei logo pro meu marido “Pare de querer me adoecer!

De volta….

•dezembro 14, 2014 • Deixe um comentário

Depois de um longo tempo, decidi retomar o blog. A ideia principal continua a mesma, ou seja, falar sobre a vida. Irei postar semanalmente as terças.

Até breve.

Passeando com o cãozinho

•março 16, 2009 • 2 Comentários
Dona Pitu

Dona Pitu

Cães, definitivamente, são maravilhosos. Pois vejam só vocês, eu tenho um marido e uma filha, mas a única criatura que me acompanha nas caminhadas é a cachorrinha. Minha filha sempre diz que vai, ainda bem que eu nunca espero senão eu nunca iria caminhar. O meu marido nem isso faz. Enquanto isso, Dona Pitu fica louca quando eu pego a coleira, ela mal se aguenta de tanta alegria.

No começo era ela que me levava para passear, ela puxava tanto que quando eu voltava meu braço estava completamente dolorido. Hoje em dia ela aprendeu que quem manda no passeio sou eu. Claro que ela está sempre tentando tomar meu lugar mas tem sido em vão. Ela vai comigo toda serelepe, feliz da vida.

No começo, ela se assustava quando um cão latia, ou quando passava um ônibus na rua. Ela vem melhorando, ainda se assusta com os cães, mas não tenta mais sair correndo feito uma louca, o mesmo acontece com o ônibus. É claro que quando aparece uma novidade no passeio ela enlouquece e tenta fugir, outro dia, ela ficou apavorada quando viu um caminhão de lixo. A bichinha puxava e olhava pra mim com uma cara de “Vamos embora, esse monstro é perigoso!”. Tive que tirar o caminhão da vista dela para que ela acalmasse.

Outra coisa muito engraçada que Dona Pitu faz é não pisar em nenhum tipo de tampa na rua, não importa se é esgoto, telefone ou água. Se for tampa de metal ela simplesmente pula ou desvia, não quer nem saber.

Por essas e outras eu vejo que ainda tenho um longo caminho a percorrer com a Dona Pitu pelo bairro.

Caos no trânsito

•março 12, 2009 • Deixe um comentário

engarrafamentoEu sei que os amigos paulistanos estão muito mais aptos a falar sobre esse assunto do que eu, mas semana passada eu fiquei realmente chocada com a demora que levei para percorrer uma pequena distância.

Eu ia pra casa e meu marido ia buscar a pequena no curso de inglês. Ele iria esperar uns 40 minutos até que a aula acabasse, tempo mais do que suficiente para eu chegar em casa, pelo menos era o que eu acreditava. Ledo engano! Durante todo esse tempo eu me distanciei tanto que quando cansei de esperar o ônibus andar, eu levei meros 8 minutos de caminhada até o curso.

O espanto dele foi imediato, pois eu estava indo para casa adiantar algumas coisas e estava ali na frente dele. Quando minha filha saiu, uns 10 minutos depois, o trânsito continuava um caos. Mas decidimos ir embora para casa mesmo assim. Claro que tentamos um outro caminho, mas não adiantou, toda a vizinhança estava parada. E a cada atalho que pegavamos parecia pior que o caminho principal. 

Quando estávamos quase chegando o trânsito magicamente ficou liberado sem que nada justificasse todo o engarrafamento que pegamos. Ficamos estarrecidos, depois de 2 horas para percorrer um caminho que leva no máximo 20 minhutos não havia absolutamente nada, nenhuma batida, nenhum acidente, simplesmente nada.

O que houve com todos os carros que estavam à nossa frente? Será que viraram pó? Mistério!!!

Arroz, Feijão e carninha

•março 4, 2009 • 3 Comentários

Final de semana, depois de um longo e cansativo passeio cheguei em casa com minha filha e decidi ser democrática. Perguntei - E aí filhota o que você que comer? Tem pizza! Lasanha! O que você prefere?

O que vocês acham que ela respondeu? Ela respondeu: - Arroz, feijão e carninha.

Agora me digam onde vocês já viram uma criança preferir comer comida quando existe besteira disponível. Eu nunca vi isso, só a minha filha mesmo. As crianças sempre brigam para poder tomar mais refrigerante enquanto ela prefere beber água se não tiver suco. Nunca conheci ninguém tão natureba assim.

Pensando nas profissões

•março 4, 2009 • Deixe um comentário

Minha filha desde de pequena sempre se preocupou com o futuro dela. O que faria? O que seria? Com o que trabalharia? Uma vez, ainda pequena, ela decidiu que seria uma empresária, mas não qualquer empresária, ela decidiu que teria três empresas: uma empresa de bijouterias, uma fábrica de chocolates e com o dinheiro ganho nessas empresas ela fundaria um banco.
Enquanto a maioria das crianças pensa em ser médico, bombeiro ou policial, a minha filha pensa em ser empresária. Onde será que foi que eu errei?

Mal-humor

•fevereiro 28, 2009 • 38 Comentários

Mal-humorAlgumas vezes não acordamos muito bem, não digo fisicamente, digo espiritualmente. Fisicamente está tudo bem, mas você não está feliz. Quando estou assim eu digo que estou tendo um dia de fúria. Essa semana eu tive meu dia fúria. Tudo me irritava, minha vontade era gritar com todos a minha volta. Passei o dia me controlando para não ser grossa, demais, com ninguém. Ainda bem que dias assim passam.

Fico pensando como seria acordar todo dia assim. Será que as pessoas passariam a ter medo de falar comigo, visto que eu poderia explodir a qualquer momento. Bom, se eu vivesse com uma pessoa assim eu teria medo de falar com ela pois no final ela acabaria sempre sendo estúpida comigo.

Como uma pessoa sempre que vive sempre mal-humorada consegue continuar vivendo. Eu tive um dia assim e no final do dia já não me aguentava mais. Algumas vezes vejo pessoas na rua, no banco, no super-mercado reclamando de tudo e me pergunto como é possível. Pessoas que reclamam por que está sol e se começar a chover vai reclamar que está chovendo e se estiver nublado vai reclamar por que não está nem fazendo sol nem chovendo.

Se você conhece uma  pessoa assim, sempre mal-humorada, sempre irritada, sempre de mal-com-a-vida, comente aqui e nos diga como você lida com todo esse mal-humor.

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.